15AH, San Francisco

California, United States.

Send Your Mail At:

info@elitesupport.com

Working Hours

Mon-Sat: 9.30am To 7.00pm

Título

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait.

Arquivo mensal Setembro 2018

Portugal assinala amanhã o Dia Europeu das Línguas em Óbidos

Assinala-se este ano em Portugal, amanhã, o Dia Europeu das Línguas na vila de Óbidos, uma organização da EUNIC Portugal, com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal e da Câmara Municipal de Óbidos.

O evento, de entrada gratuita e a decorrer entre as 14h00 e as 19h30, conta com um programa cultural diversificado e atividades para toda a família, permitindo aos participantes contactar com línguas e culturas de diferentes países europeus.

Os participantes podem participar em mini-conversas («speak dating») de 5 minutos nas línguas da sua escolha, testar os seus conhecimentos linguísticos, assistir e/ou participar em jogos, danças para adultos e crianças e assistir à projeção de curtas-metragens de origem europeia e do filme mudo “Cenere” (Cinzas) de Febo Mari (1916) acompanhado de música jazz ao vivo por Giovanni Ceccarelli (piano) e Marcello Allulli (sax). Os visitantes mais pequenos podem, ainda, explorar as línguas europeias através de diversas atividades criativas, desde a narração de histórias a leitura de contos em língua estrangeira.

Haverá ainda a possibilidade de participar num jogo de futebol gaélico, assistir ao concerto do famoso e jovem violoncelista austríaco Lukas Lauermann e, para além da exposição «Palavra de Honra», visitar exposições croatas, e polacas e sobre a presença da Língua Portuguesa no Mundo. Neste mesmo dia, em que os tambores e as gaitas de foles galegas ecoarão pelas ruas de Óbidos, será também feito o lançamento da edição da Antologia «Literatura-Mundo Comparada II: O Mundo Lido: Europa», do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e da versão portuguesa do livro «Cinzas» (1904) de Grazia Deledda (escritora italiana distinguida com o Nobel da Literatura em 1926), publicada pela Sibila Publicações e apresentada pela escritora Inês Pedrosa.

As atividades do Dia Europeu das Línguas estão concentradas na Praça de Santa Maria, na Casa José Saramago, na Livraria Santiago, na Casa da Música, na Livraria do Mercado e no Terreiro da vila de Óbidos.

A EUNIC Portugal dá, assim, a possibilidade aos participantes de contactarem com 14 línguas europeias: alemão, checo, croata, espanhol (castelhano, catalão e galego), finlandês, francês, gaélico, georgiano, grego, italiano, inglês, polaco, português e romeno.

Dia Europeu das Línguas foi instituído no Ano Europeu das Línguas em 2001, por iniciativa conjunta do Conselho da Europa e da Comissão Europeia, com o objetivo de celebrar e preservar a diversidade linguística como uma riqueza do património comum da Europa. Este ano o evento é realizado também no âmbito das comemorações do Ano Europeu do Património Cultural.

Mais informações no evento Facebook dedicado ao Dia Europeu das Línguas 2018 em Óbidos.

Juncker pede uma Europa forte “um continente de abertura e tolerância”

A 12 de setembro de 2018, o Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, proferiu o seu quarto discurso anual sobre o Estado da União no Hemiciclo do Parlamento Europeu.

Veja o vídeo sobre o discurso sobre o Estado da União que inclui um balanço das realizações do ano anterior e que apresenta as prioridades para o ano seguinte. Nele se delineia igualmente a forma como a Comissão tenciona enfrentar os desafios mais prementes que se colocam à União Europeia.

Leia o discurso integral do Presidente perante o hemiciclo em Estrasburgo: https://ec.europa.eu/soteu2018

Comissão Europeia lança iniciativa de informação sobre eficiência energética para que os portugueses possam poupar nas suas faturas de energia

Os cidadãos portugueses podem poupar na sua fatura de energia seguindo alguns passos simples. A Comissão Europeia lançou a 27 de Setembro uma iniciativa em Portugal para informar os cidadãos sobre medidas de eficiência energética para poupar na sua fatura sem reduzir o seu nível de conforto. Uma parte fundamental desta iniciativa é um roadshow que estará nas cidades de Lisboa (27 de setembro a 1 de outubro) e Porto (4 a 8 de outubro) com um atrelado repleto de atividades interativas.
A utilização eficiente da energia é fundamental para a sustentabilidade a longo-prazo da Europa. O aquecimento é uma das áreas em que o dispêndio de energia é mais relevante e Portugal não é exceção. Dados do Eurostat[1] indicam que a maior percentagem de pessoas que declaram não ter capacidade de aquecer adequadamente a sua casa foi registada na Bulgária (37 %), seguindo-se a Lituânia (29 %), a Grécia (26 %) e Portugal (20 %) quando comparados com os dados médios da União Europeia, que são de 8 %. Ao mesmo tempo, Portugal é uma das regiões em que mais se têm sentido as alterações climáticas e os cidadãos estão conscientes dos benefícios ambientais de uma adequada utilização da energia.

A Comissão Europeia lançou uma iniciativa que visa promover a poupança energética das famílias e a diminuição das suas faturas, através de pequenas mudanças de comportamento e de um investimento para melhorar a qualidade das habitações. A principal mensagem desta iniciativa é que esta poupança pode ser revertida para outros fins. «Mesmo pequenas poupanças no comportamento diário podem ajudar as famílias a poupar dinheiro. De sugestões simples de poupança sem custo ou de baixo custo até investimentos mais abrangentes em melhoramentos da eficiência energética das habitações, existe algo para que qualquer cidadão possa reduzir a sua fatura energética e para ajudar a poupar energia e proteger o ambiente», afirmou a Comissária Věra Jourová.

O Presidente da DECO, Vasco Rodeia Torres Colaço, corrobora esta afirmação: «Estamos interessados em associarmo-nos à Comissão Europeia na disponibilização de soluções valiosas para que os Portugueses possam diminuir os seus custos com a fatura de energia e estamos profundamente empenhados em melhorar a eficiência energética e em proporcionar claros benefícios para a saúde / sustentabilidade ambiental de todos os portugueses. Uma das nossas principais prioridades é a de apoiar os consumidores a maximizar os seus benefícios e esta campanha é uma ferramenta útil para os consumidores».

A iniciativa lançada ontem em Lisboa é assinalada com uma conferência de imprensa que marca a abertura oficial da exposição itinerante «Eficiência Energética». Esta exposição consiste num atrelado, que funciona como uma «casa» interativa, permitindo que os cidadãos possam aprender sugestões de eficiência energética através de paredes interativas, concursos e atividades educativas e atrativas para crianças e famílias. O atrelado estará aberto ao público na Gare do Oriente, no Parque das Nações, entre os dias 27 de setembro e 1 de outubro (diariamente, entre as 09:00 e as 19:00 nos dias de semana e das 10:00 às 19:00 no fim de semana), e irá em seguida marcar presença na Praça de Gomes Teixeira, no Porto (de 4 a 8 de outubro).

Após os eventos de lançamento, a iniciativa irá continuar a desenvolver-se nas redes sociais assim como em meios tradicionais até ao final de dezembro de 2018. Estão previstas diversas atividades, tais como uma em torno do dia internacional para a erradicação da pobreza, atividades para a família baseadas em sugestões de eficiência energética e ainda uma chamada de atenção no Natal para a forma como a energia pode constituir um contributo para os presentes de Natal. Estas atividades irão continuar a disseminar as principais mensagens da iniciativa, assim como os benefícios sociais da poupança energética.

Esta iniciativa da Comissão Europeia beneficia do apoio de parceiros locais e regionais, incluindo a Agência para Energia (ADENE), Associação das Agências de Energia e Ambiente (RNAE), Agência de Energia e Ambiente de Lisboa (Lisboa E-nova), Agência de Energia do Porto (AdEporto), Centro de Investigação em Ambiente e Sustentabilidade (CENSE – FCT/UNL), Direção-Geral do Consumidor (DGC), Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), DECO, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), assim como dos Municípios de Lisboa e Porto. O Laboratório Nacional de Energia e Geologia contribuiu com o aconselhamento técnico para a fase inicial de execução desta iniciativa.

A iniciativa-piloto teve início no dia 21 de março na República Checa, seguida da Roménia e Grécia, e chega agora a Portugal. Até agora, a campanha já atingiu – através de diversos canais – mais de 18,5 milhões de europeus. Atividades complementares pela Comissão Europeia incluem o recentemente apresentado Observatório da Pobreza Energética da UE, que visa proporcionar recursos de acesso livre e de fácil utilização que promovam o envolvimento do público com o assunto da pobreza energética, assim como disseminar informação e melhores práticas.

Dados adicionais sobre consumo de energia em Portugal:

Dados EU SILC (Statistics on Income and Living Conditions) para Portugal

  • 20,4 % dos cidadãos referem que não conseguem manter a sua casa adequadamente aquecida;
  • 7,3 % enfrentam atrasos na sua fatura de energia; este número atinge os 15,5 % para indivíduos solteiros com crianças;
  • 25,5 % da população vive em habitações com infiltrações no telhado, humidade na parede, no chão ou nas fundações ou com caixilhos de janelas ou chão deteriorados;
  • Os custos externos relacionados com a saúde causados pela poluição do ar são estimados em 4 mil milhões de euros (valores baseados em dados de 2010 ajustados ao rendimento);
  • Aproximadamente 25 % da população portuguesa vive num alojamento (privado) alugado;
  • Políticas eficazes de eficiência energética podem levar a uma maior redução do consumo de energia, especialmente para aquecimento, mantendo em simultâneo os níveis de conforto em casa;
  • A redução do desperdício de energia e, em simultâneo, das faturas de energia, são a principal ferramenta para combater a pobreza energética para famílias para as quais a fatura de energia representa uma percentagem significativa do rendimento;
  • Os consumidores domésticos estão empenhados em receber mais informações sobre como poupar através de ações simples e eficazes de poupança energética.

Conselho apoia a intenção da Comissão de investir mil milhões de euros em supercomputadores europeus de craveira mundial

O Conselho de Ministros apoiou hoje oficialmente os planos da Comissão para investir, em conjunto com os Estados-Membros, na criação de uma infraestrutura europeia de supercomputação de craveira mundial.

Os supercomputadores são necessários para processar quantidades cada vez maiores de dados. São valiosos para a sociedade em muitos domínios, desde os cuidados de saúde e as energias renováveis até à segurança dos veículos e à cibersegurança. Hoje, o Conselho adotou um regulamento que estabelece a Empresa Comum Europeia para a Computação de Alto Desempenho (EuroHPC), uma nova estrutura jurídica e de financiamento que congregará recursos provenientes de 25 países europeus, desenvolverá infraestruturas de dados e de supercomputação e apoiará a investigação e a inovação neste domínio, com a participação de cientistas, de empresas e da indústria. Esta estrutura proporcionará aos utilizadores públicos e privados europeus um melhor acesso à supercomputação, que é essencial para apoiar a competitividade e a inovação.

Andrus Ansip, Vice-Presidente da Comissão Europeia responsável pelo Mercado Único Digital afirmou: «Os dados são a matéria-prima da nossa economia digital. Precisamos de supercomputadores para os processar, desenvolver a inteligência artificial e encontrar soluções para questões complexas em domínios como a saúde e a segurança. Atualmente, a maior parte dos nossos investigadores e empresas precisam de sair da Europa para encontrarem os computadores de craveira mundial de que necessitam. A UE não pode dar-se ao luxo de ficar para trás. Com a EuroHPC, poderemos tirar partido da inovação na Europa.»

Mariya Gabriel, Comissária responsável pela Economia e Sociedade Digitais, acrescentou: «A EuroHPC estimulará o desenvolvimento na Europa de uma cadeia de fornecimento de dados e de supercomputação competitiva através de contratos públicos. Com os seus centros de competência poderá capacitar as instituições académicas, a indústria, as pequenas e médias empresas e os serviços públicos na Europa, proporcionando-lhes o acesso a uma vasta gama de recursos, serviços e instrumentos para que estes possam aperfeiçoar as suas competências digitais e inovar.»

A Empresa Comum EuroHPC será estabelecida em novembro de 2018 e estará operacional até ao final de 2026. A cooperação é essencial para a competitividade e a independência da UE na economia dos dados, uma vez que, atualmente, a indústria da UE consome mais de 33 % dos recursos mundiais de supercomputação, mas fornece apenas 5 % dos mesmos.

A empresa comum terá um orçamento de mil milhões de euros, metade do orçamento da UE e metade de contribuições dos Estados-Membros participantes. Os parceiros privados contribuirão com recursos adicionais de mais de 400 milhões de EUR. As suas atividades concentrar-se-ão em duas áreas:

  • Uma infraestrutura de supercomputação pan-europeia: para comprar e implantar na UE dois supercomputadores que estejam entre os 5 melhores do mundo e, pelo menos, dois outros que figurariam hoje entre os primeiros 25 a nível mundial. Estas máquinas serão interligadas com os supercomputadores nacionais existentes e disponibilizados a utilizadores públicos e privados em toda a Europa, para utilização em mais de 800 domínios de aplicação científica e industrial.
  • Investigação e inovação: apoiar o desenvolvimento de um ecossistema europeu de supercomputação, estimulando a indústria de fornecimento de tecnologia e disponibilizando recursos de supercomputação, em muitos domínios de aplicação, a um grande número de utilizadores públicos e privados, incluindo as pequenas e médias empresas.

Até à data, os seguintes países europeus comprometeram-se a aderir à empresa comum: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, Polónia, Portugal, República Checa e Roménia.

Próximas etapas

A EuroHPC iniciará funções nas próximas semanas, após terem sido nomeados os representantes da Comissão, dos países europeus e de parceiros privados, que constituirão o seu Conselho de Administração e Conselho Consultivo Industrial e Científico.

A mais longo prazo, a Comissão propôs investir 2,7 mil milhões de EUR na EuroHPC para reforçar a capacidade de processamento de dados e de supercomputação na Europa no âmbito do Programa Digital Europeu para 2021-2027, apresentado em maio de 2018. Este financiamento suplementar visa assegurar a disponibilidade de supercomputação de craveira mundial e a sua utilização generalizada nos setores público e privado, incluindo as pequenas e médias empresas.

Contexto

Os cidadãos europeus já beneficiam de muitas aplicações da supercomputação na sua vida quotidiana. Por exemplo, o desenvolvimento de novas terapias médicas depende fortemente de simulações que recorrem à supercomputação para compreender a natureza das doenças cardíacas, do cancro, da doença de Alzheimer e de doenças genéticas raras.

No domínio da cibersegurança e da defesa, os supercomputadores são utilizados para desenvolver tecnologias eficientes de encriptação e, em combinação com a inteligência artificial, para compreender e dar resposta a ciberataques. São igualmente utilizados para o estudo das alterações climáticas e para a previsão meteorológica.

Para as indústrias e empresas, os supercomputadores podem reduzir significativamente os ciclos de conceção e do produto e os respetivos ciclos de produção, acelerando a conceção de novos materiais, reduzindo os custos e aumentando a eficiência dos recursos. Por exemplo, os ciclos de produção automóvel podem ser reduzidos de 60 para 24 meses, melhorando simultaneamente a segurança e o conforto dos passageiros.

Para mais informações

Perguntas e respostas

Ficha informativa com exemplos da utilização de supercomputação

Declaração Conjunta do Vice-Presidente Andrus Ansip e a Comissária Mariya Gabriel sobre os progressos da construção de supercomputadores europeus (25 de junho de 2018)

A Empresa Comum EuroHPC: perspetivas para 2019-2020 e mais além

Vídeo sobre os supercomputadores europeus

Ficha de informação sobre o Programa Digital Europeu para 2021-2027

Presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, em vista oficial a Portugal | 27 e 28 setembro

O Presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, estará em Portugal a 27 e 28 de setembro para a primeira visita oficial ao país.

 

Programa da visita

 

Quinta-feira, 27 setembro:

21:00 Jantar de trabalho com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (Palácio da Cidadela de Cascais)

 

Sexta-feira, 28 setembro:

08:45 Encontro com eurodeputados portugueses (Gabinete do PE em Portugal)

09:00 Entrega do Prémio do Cidadão Europeu na presença de eurodeputados portugueses (Gabinete do PE em Portugal)

09:45 Encontro com cidadãos no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG)

11:00 Encontro com o Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues (Assembleia da República)

12:00 Encontro com o Primeiro-ministro, António Costa, seguido de ponto de imprensa (Palácio Foz)

 

Para aceder ao dossier de imprensa sobre a visita a Portugal, clique aqui.

 

Para mais informação:

Carlo Corazza

carlo.corazza@europarl.europa.eu

+32 498 99 28 62

 

Teresa Coutinho / Vera Ramalhete

Gabinete de Imprensa do PE em Portugal

teresa.coutinho@ep.europa.eu / vera.ramalhete@ep.europa.eu

+351 91 768 34 30 / +351 91 778 03 23

 

Portugal assinala o Dia Europeu das Línguas em Óbidos

Assinala-se este ano em Portugal, a 29 de setembro de 2018, o Dia Europeu das Línguas na vila de Óbidos, uma organização da EUNIC Portugal, com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal e da Câmara Municipal de Óbidos.

O evento, de entrada gratuita e a decorrer entre as 14h00 e as 19h30, conta com um programa cultural diversificado e atividades para toda a família, permitindo aos participantes contactar com línguas e culturas de diferentes países europeus.

Os participantes podem participar em mini-conversas («speak dating») de 5 minutos nas línguas da sua escolha, testar os seus conhecimentos linguísticos, assistir e/ou participar em jogos, danças para adultos e crianças e assistir à projeção de curtas-metragens de origem europeia e do filme mudo “Cenere” (Cinzas) de Febo Mari (1916) acompanhado de música jazz ao vivo por Giovanni Ceccarelli (piano) e Marcello Allulli (sax). Os visitantes mais pequenos podem, ainda, explorar as línguas europeias através de diversas atividades criativas, desde a narração de histórias a leitura de contos em língua estrangeira.

Haverá ainda a possibilidade de participar num jogo de futebol gaélico, assistir ao concerto do famoso e jovem violoncelista austríaco Lukas Lauermann e, para além da exposição «Palavra de Honra», visitar exposições croatas, e polacas e sobre a presença da Língua Portuguesa no Mundo. Neste mesmo dia, em que os tambores e as gaitas de foles galegas ecoarão pelas ruas de Óbidos, será também feito o lançamento da edição da Antologia «Literatura-Mundo Comparada II: O Mundo Lido: Europa», do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e da versão portuguesa do livro «Cinzas» (1904) de Grazia Deledda (escritora italiana distinguida com o Nobel da Literatura em 1926), publicada pela Sibila Publicações e apresentada pela escritora Inês Pedrosa.

As atividades do Dia Europeu das Línguas estão concentradas na Praça de Santa Maria, na Casa José Saramago, na Livraria Santiago, na Casa da Música, na Livraria do Mercado e no Terreiro da vila de Óbidos.

A EUNIC Portugal dá, assim, a possibilidade aos participantes de contactarem com 14 línguas europeias: alemão, checo, croata, espanhol (castelhano, catalão e galego), finlandês, francês, gaélico, georgiano, grego, italiano, inglês, polaco, português e romeno.

O Dia Europeu das Línguas foi instituído no Ano Europeu das Línguas em 2001, por iniciativa conjunta do Conselho da Europa e da Comissão Europeia, com o objetivo de celebrar e preservar a diversidade linguística como uma riqueza do património comum da Europa. Este ano o evento é realizado também no âmbito das comemorações do Ano Europeu do Património Cultural.

Mais informações no evento Facebook dedicado ao Dia Europeu das Línguas 2018 em Óbidos.

Contactos para a imprensa: Paulo Batista: 93 13 14 016 – Paulo.Batista@ec.europa.eu

Discurso do Presidente Juncker sobre o Estado da União 2018

Todos os anos, em setembro, o presidente da Comissão Europeia profere o Discurso sobre o Estado da União perante o Parlamento Europeu, fazendo o balanço dos resultados do ano anterior e apresentando as prioridades para o ano seguinte. Neste discurso, delineia igualmente a forma como a Comissão tenciona abordar os desafios mais prementes da União Europeia. Segue-se um debate em sessão plenária, que assinala o início do diálogo com o Parlamento Europeu e o Conselho, tendo em vista a elaboração do programa de trabalho da Comissão para o ano seguinte.
Consagrado no Tratado de Lisboa, o Discurso sobre o Estado da União está previsto no Acordo-Quadro de 2010 sobre as relações entre o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia, que requer igualmente que o Presidente transmita uma carta de intenções ao Presidente do Parlamento Europeu e à Presidência do Conselho, na qual apresente de forma pormenorizada as medidas legislativas e outras iniciativas que a Comissão tenciona adotar até ao final do ano seguinte.

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, proferiu o seu quarto Discurso sobre o Estado da União em 12 de setembro de 2018 na sede do Parlamento Europeu em Estrasburgo.

Todos os documentos relacionados estão disponíveis no seguinte endereço: http://ec.europa.eu/soteu2018

Este ano, o discurso inscreve-se num contexto marcado pelas eleições europeias de 2019 e pelo debate em curso sobre o futuro da União Europeia a 27.

Principais propostas já apresentadas pela Comissão Europeia no seguimento do discurso do Estado da União:

Estado da União 2018: Reforço da Procuradoria Europeia para combater o terrorismo transfronteiras Ver também: Perguntas e Respostas e Ficha Informativa

Estado da União 2018: Comissão propõe últimos elementos necessários para chegar a um compromisso sobre a reforma no domínio da migração e das fronteiras Ver também: Perguntas e Respostas e na aplicação de regras relativas ao regresso

Estado da União 2018: Uma supervisão mais forte no domínio do combate ao branqueamento de capitais para promover a estabilidade dos setores bancário e financeiro Ver também: Perguntas e Respostas

Estado da União 2018: Comissão apresenta plano para uma arquitetura financeira mais eficaz para apoiar o investimento no exterior da UE Ver também: Perguntas e Respostas

Estado da União 2018: Rumo a uma nova «Aliança África – Europa» para aprofundar as relações económicas e estimular o investimento e o emprego Ver também: Perguntas e Respostas

Estado da União 2018: Tornar a UE um interveniente mais forte na cena mundial — Comissão Europeia propõe um processo de tomada de decisões mais eficaz na Política Externa e de Segurança Comum

Estado da União 2018: Comissão propõe novas regras para remover conteúdos terroristas da Internet Ver também: Perguntas e Respostas, Ficha Informativa e este documento sobre cibersegurança

Estado da União 2018: A Comissão Europeia propõe medidas destinadas a garantir eleições europeias livres e justas Ver também: Ficha Informativa e este documento sobre a proteção de dados pessoais nas eleições

Estado da União 2018: Comissão propõe acabar com as mudanças de hora sazonais Ver também: Perguntas e Respostas

Esta brochura faz o balanço dos progressos realizados na prossecução das dez prioridades da Comissão Juncker.

O discurso sobre o Estado da União de 2018 encontra-se disponível (apenas em língua inglesa) neste sítio Web.