Título da página de arquivo

Autem vel eum iriure dolor in hendrerit in vulputate velit esse molestie consequat, vel illum dolore eu feugiat nulla facilisis at vero eros et dolore feugait.

Arquivo diário 4 Setembro, 2021

Dia 3 – A Bordo do Connecting Europe Express – Por Carlos Cipriano, Jornalista do Público

MADRID – BORDÉUS
Às 6h14 é noite escura em Madrid, à hora em que o Connecting Europe Express parte da estação de Príncipe Pío, mas em breve o sol faz a sua quando, ultrapassada a serra, a composição atravessa as extensas planícies de Castela. Uma terra castanha, pueblos semi-desertos, gado que pasta à beira da linha.
As paragens são breves. Em Valladolid, Miranda de Ebro, San Sebastian e finalmente Irún, a última estação espanhola. A seguir cruza-se um rio e entramos em Hendaya, França, onde haverá mais uma cerimónia de boas vindas ao Comboio Europeu.
Mas aqui tudo muda. Despedimo-nos da velha composição espanhola. Estas carruagens Talgo terão feito a sua última viagem e devem ser em breve abatidas ou vendidas para o estrangeiro. Na plataforma ao lado está uma nova composição que é em si mesmo um exemplo de cooperação europeia na ferrovia: uma locomotiva francesa reboca uma carruagem húngara (transformada em espaço para exposições), uma carruagem alemã e outra francesa, esta última equipada com sala de reuniões onde irá decorrer uma conferência a bordo com quadros da SNCF. Segue-se a carruagem italiana, com bar e restaurante, e depois a suíça, sem dúvida a mais glamorosa de todas porque é uma carruagem panorâmica, envidraçada, que proporciona uma experiência de viagem ímpar. Por fim, uma carruagem-cama dos caminhos-de-ferro austríacos, uma montra de como é possível atravessar a Europa em viagens nocturnas confortáveis como se se estivesse num hotel.
A partida do Connecting Europe Express é feita em ambiente festivo e duas horas depois estamos em Bordéus onde os franceses não deixaram os seus créditos por mãos alheias para receber condignamente esta composição. A cerimónia incluiu uma longa sessão de discursos onde falaram as autoridades locais e regionais bem como responsáveis da Comissão Europeia e da SNCF. Como sempre, a tónica foi sobre as virtudes do modo ferroviário em termos de segurança, economia e sustentabilidade ambiental. Os políticos da Aquitânia não perderam, claro, a oportunidade para exigir ao Estado francês mais dinheiro para investir nas infra-estruturas ferroviárias.
Carlos Cipriano
• Carlos Cipriano, natural do Bombarral e residente nas Caldas da Rainha, é jornalista do Público e aceitou pro bono partilhar com o Europe Direct Oeste, Lezíria e Médio Tejo a sua experiência a bordo do Connecting Europe Express durante os próximos dias.
Laurent Montré, maquinista da SNCF que conduziu o Comboio Europeu na primeira etapa em França.
Pormenor da carruagem-cama austríaca.