Dia 2 – A Bordo do Connecting Europe Express – Por Carlos Cipriano, Jornalista do Público

COVILHÃ – MADRID
No segundo dia de viagem o Connecting Europe Express saiu da Covilhã às 8h20 e chegou a Madrid às 15h21, cinco minutos antes do previsto. No entretanto, as seis carruagens deste comboio tiveram de ser rebocadas por três locomotivas diferentes, provando que, afinal, apesar de todos os discursos em prol da interoperabilidade ferroviária, a realidade demonstra o contrário. Eis as razões:
– Em Vilar Formoso a locomotiva eléctrica da CP deu lugar a uma locomotiva a diesel da Renfe. Do lado espanhol a linha não está electrificada desde a fronteira até Salamanca.
– Em Medina del Campo a locomotiva a diesel foi substituída por uma outra locomotiva espanhola, mas eléctrica porque, dali até Madrid, a linha já tem catenária (fio de alta tensão).
Há, curiosamente, locomotivas que estão preparadas para circular em linhas electrificadas e em linhas sem catenária, mas não foi essa a opção da Renfe para operar este comboio, que hoje, já em velocidade de cruzeiro, teve um ambiente menos festivo.
Em Vilar Formoso a comitiva portuguesa, presidida pelo secretário de Estado dos Transporte, Jorge Delgado, e presidentes da CP e IP, respectivamente, Nuno Freitas e António Laranjo, retiraram-se e o comboio europeu prosseguiu viagem, agora com um representante (um assessor) do governo espanhol a bordo. A travessia das vastas planícies de Castela foi algo monótona – rectas a perder de vista, um balancear suave que convidava a dormitar. Mas houve alguma emoção à passagem por Salamanca. O Connecting Europe Express não tinha paragem prevista, mas deu para ver, durante breves segundos, que havia uma manifestação na estação com ferroviários a defender o regresso dos comboios nacionais e internacionais que a Renfe suspendeu devido à pandemia e que, de mansinho, aproveitou para não repôr em operação, alegando agora que davam prejuízo. É o caso do Lusitânia Expresso, que circulava entre Lisboa e Madrid e que deixou de circular fazendo com que estas duas cidades sejam das poucas capitais europeias que não têm uma relação ferroviária.
Em Medina del Campo o comboio europeu foi aplaudido por uma comitiva do governo regional. E em Madrid, foi a própria secretária de Estado dos Transportes, Isabel de Vera, que presidiu a uma cerimónia, na qual afirmou que “o Connecting Europe Express é um símbolo que representa os valores e objectivos que a União Europeia persegue desde a sua criação – uma Europa Europa livre, culta, unida e interligada, una Europa coesa e uma Europa verde e sustentável.”
Carlos Cipriano
• Carlos Cipriano, natural do Bombarral e residente nas Caldas da Rainha, é jornalista do Público e aceitou pro bono partilhar com o Europe Direct Oeste, Lezíria e Médio Tejo a sua experiência a bordo do Connecting Europe Express durante os próximos dias.
GNR e Guardia Civil em Vilar Formoso.
Recepção em Medina del Campo.
Chegada à estação de Madrid Príncipe Pío.
30
Sandra Geada